quinta-feira, 18 de fevereiro de 2010

O "Espirito de Nossa Geração"

Cada geração possui o espírito de sua época. Por espírito não quero dizer uma entidade mística sobrenatural, mas uma atmosfera cognitiva, uma nuvem de conhecimento que envolve todas as pessoas de determinado período, tornando-as sensíveis para algumas coisas, conscientes de algumas idéias e alheios a outras.

Talvez o espírito de nossa época, seja marcado principalmente por um consumo desenfreado, por uma busca eterna da beleza, por caminhos de auto-ajuda, por uma busca de auto-realização que nunca é satisfatória. Todos vivenciamos uma vida “internetizada” onde as relações pessoais ficam cada vez mais distantes, os índices depressivos aumentam por conta da ansiedade e das preocupações de vidas sem ideais e conseqüentemente estéreis.

Vivemos num momento de fastio “evangelical” e de abundancia, onde em todos os meios de comunicação podemos encontrar uma mensagem “espiritual”. Mas é importante ressaltar que a maioria das mensagens que escutamos estão contaminadas com o “espírito” de nossa época. Ouvimos mais sobre as nossas possibilidades, sobre o que podemos conquistar, sobre o determinismo e sobre maldições do que sobre a verdadeira mensagem da cruz, sobre a verdadeira graça de Deus e seu amor que excede todo entendimento. A mensagem da cruz não é excitante se não for acompanhada de um teor de prosperidade, de vitórias e conquistas.

Será que temos coragem de ir à contramão desses fatos? Será que temos coragem de enfrentar os falsos líderes que abocanharam as ovelhas de Deus, como fez o apóstolo Paulo defendendo sua posição ministerial?

Diante dessas dificuldades precisamos de referenciais, pessoas que nós possamos olhar e dizer: “quero ser como eles”. Então olho através da história e vejo muitos que despertam em mim um profunda admiração: Apostolo Paulo, Wycliffe, Jan Huss, Lutero, Calvino, Zwínglio, George Fox, John Bunyan, John Knox, Conde Von Zinzendorf, John Wesley, Jacob Spener, George Whitefield, Charles Finney, Jonathan Edwards, D. L. Moddy, William Carey, Hudson Taylor, David Livingstone, William Booth, Karl Barth, Paul Tillich, Dietrich Bonhoeffer, C. S. Lewis, Martin Luther King, John Stott, e tantos outros.

A história desses homens foi marcada por uma vida intensa de oração e grande profundidade nos estudos da Palavra de Deus.

Todos eram sedentos de Deus e dedicaram suas vidas aos estudos de sua Palavra.

Não somos seus contemporâneos, mas poderemos seguir os seus exemplos.

Será que temos essa coragem?


Que Deus nos ajude

Reações:

0 comentários: