segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011

O capuz da vergonha

A mãe deles foi infiel, engravidou deles e está coberta de vergonha (Os 2.5)
A mulher fez coisas muito feias. Foi longe demais. Infelicitou muita gente. Tudo veio à tona. De repente, todo mundo debaixo do sol ficou sabendo de suas sujidades. Agora, ela está coberta de vergonha. Não é para menos.
O capuz da vergonha é insuportável. Pode levar ao suicídio. Vergonha é sinônimo de opróbrio, de ignomínia e da desconhecida verecúndia. Significa desonra humilhante, rebaixamento público. É um sentimento penoso e inevitável.
Aqueles que não têm vergonha de pecar, mais cedo ou mais tarde, quando forem apanhados, terão de usar o capuz da vergonha.
Sabe-se bem da primeira vergonha da história humana. Uma vergonha dramática — a vergonha que tomou conta de Adão e Eva logo após a queda (Gn 3.7). Sabe-se da vergonha de Davi, de Pedro e do casal Ananias e Safira. Não são poucos os que se queixam do capuz da vergonha e confessam: “O meu rosto está coberto de vergonha” (Sl 44.15).
O capacete da salvação há de me proteger continuamente do capuz da vergonha!

Retirada de Refeições Diárias com o Sabor dos Salmos (Editora Ultimato, 2004)

Reações:

0 comentários: