domingo, 21 de março de 2010

A BENÇÃO DE NÃO TER NADA

As raízes do nosso coração penetraram fundo nas coisas, e não ousamos arrancar nenhuma delas, com receio de morrer. As coisas se tornaram necessárias para nós, de um modo que jamais foi a intenção de Deus... O Senhor Jesus se referiu à tirania das coisas quando disse aos seus discípulos: “Se alguém quer vir após mim, a si mesmo se negue, tome a sua cruz e siga-me. Portanto, quem quiser salvar a sua vida, perdê-la-á, e quem perder a vida por minha causa, achá-la-á” (Mt 16.24, 25) Os pobres e bem aventurados são aqueles que já não são mais escravos das coisas, que quebraram o jugo opressor; e conseguiram, não lutando, mas entregando tudo ao Senhor. Embora libertos do sentimento de posse, contudo possuem tudo: “Deles é o reino do céu”. O homem tem que aproximar-se de Deus completamente resolvido a ser ouvido, e fazer questão absoluta de que Deus aceite sua entrega total, que retire do seu coração todas as coisas, afim de que Ele mesmo reine ali soberanamente. Nunca devemos nos esquecer de que verdades como essas jamais poderão ser aprendidas apenas com a mente, como acontece com os fatos da ciência física, temos que conhecê-las experimentalmente, para que possamos realmente compreendê-las. Se quisermos de fato conhecer a Deus em crescente intimidade, precisamos palmilhar o caminho da renúncia. Tudo quanto for entregue a Ele fica em perfeita segurança, pois, na realidade, nada está garantido enquanto não for entregue a ele. Pai, desejo conhecer-te, mas meu coração covarde teme desistir de seus brinquedos. E não posso desfazer-me deles sem antes sangrar-me por dentro, e não procuro esconder de ti o terror da separação. Venho tremendo, mas venho. Por favor, extirpa do meu coração todas aquelas coisas que estou amando a tanto tempo, e que se têm tornado parte integrante deste “viver para mim mesmo, afim de que tu possas entrar e habitar a li sem qualquer rival...”
Extraido e Adaptado do livro (A Procura de Deus - A. W. Tozer.

Reações:

0 comentários: